sexta-feira, 26 de maio de 2017

Resenha ̶ Pablo, o cigano do ouro ̶ Carla Póvoa


Pablo, o cigano do ouro  ̶  Carla Póvoa

Título:  Pablo, o cigano do ouro
Autor: Carla Póvoa
Ano: 2015 / Páginas: 192

Idioma: português
Editora: Kelps
Sinopse:
"Pablo era um belo exemplar do povo cigano. De porte invejável, usava adornando o pescoço um colar com um pingente em forma de dado e em uma das orelhas uma discreta argola com um pequeno rubi. Era forte, estava sempre á frente das atividades de sua tribo que dependiam de força, agilidade e esperteza.
Mas a beleza de Pablo não era seu único quesito que se destacava, Pablo era bom com as palavras, tinha sabedoria com as ervas e manipulava metais raros.
Sua história é marcada por fazer muitos amigos, mas também muitos inimigos. Essa é uma belíssima narração marcada pela força e o poder do amor, pelo verdadeiro significado de tradição e honra aos costumes do povo cigano.










Conhecer a vida de Pablo, o cigano do ouro, é vivenciar um pouco da cultura cigana, avaliar o poder das escolhas e como elas podem direcionar a vida de um povo."
    O livro conta a história de Pablo, que desde seu nascimento fora destinado a 
ser o líder da comunidade cigana após o pai. 
Desde cedo também fora prometido a casamento, como manda as tradições. 
O inicio do livro, quando o personagem ainda é adolescente, nos dá uma visão clara de sua personalidade: um adulto em um corpo de jovem, pois a sabedoria do garoto 
era muito maior que de alguns mais velhos do clã. 
Fala também de suas duvidas em relação a sua prometida que estava lhe tratando diferente, do amor a sua família e as regras que os ciganos traziam consigo. 
Quando seu pai morre ainda é adolescente, mas já alcançou 
a maioridade - que no caso é 15 anos - ele se vê assumindo a liderança de seu povo 
e casa-se com Sarita, sua prometida. 


Pouco depois já tem um filho chamado Pablo Izalon, o qual tomaria 
o lugar de Pablo pai quando esse morresse. 
Porém, diferente de seu líder ele não está nem aí para as leis, acham que as pessoas deviam se subordinar a ele e com isso trazem muitos desafios para 
O cigano do ouro - Pablo recebeu esse nome quando em um momento de 
dificuldade conseguiu encontrar uma mina de ouro. 
Não estruturalmente, mas quem lê pode perceber que o livro é basicamente dividido em duas partes: a história de Pablo adolescente e depois de Izalon, seu filho,
 pois enquanto o garoto crescia a narração passou a forcar nele, 
sem esquecer-se do Cigado do ouro. 
Apesar de seguir as leis ciganas a risca, Pablo sempre tentou livrar o 
filho convencendo ao povo com o argumento que poderia muda-lo. 
O amor de pai falava mais alto. Porém seu filho começava a passar dos limites, 
e o povo cansado das atitudes de Izalon, queria que o líder se 
posicionasse como o papel que tinha.


" ̶ Não queremos mais discutir questão nenhuma relacionada a isso, grande líder. Queremos que as regras de nosso povo sejam aplicadas a esse caso."

Entao ele teve que se decidir: agir como líder e deixar que seu filho morresse 
ou poupa-lo de alguma maneira?


     Pablo, o cigano do ouro traz em sua capa um simbolo que forma o sol e a lua em união. 
O sol, na cultura cigana é a manifestacão do próprio Deus.
 "O sol ilumina as almas e mentes trazendo a solução de problemas, através de ideias e esclarecimentos", segundo o site Jucyconsulta. 

"A lua", como está no site ciganinhadoouro, "simboliza a magia e os mistérios". 
Portanto, o desenho que a capa traz tem total semelhança com a história que conta a rotina das mulheres ciganas em relação a manipulação das cartas e leituras das linhas das mãos e em como acreditam numa força maior, como a Santa Kali, Santa Padroeira do povo cigano, e em como Pablo, diferente de todos de sua idade possuia sabedoria e discernimento que jamais souberam explicar.

 A história é narrada em terceira pessoa, os pronomes são escritos em segunda pessoa, de modo que durante o livro tu poderás ver  esse tipo de linguagem, apesar de que já no final do livro a linguagem passa por uma mudança para a primeira pessoa do caso reto. 

Todas as 192 páginas são divididas em 19 capitulos + epílogo. 
Pude captar pouco da personalidade dos personagens, a não ser é claro Pablo e Izalon. Apesar de passar muito tempo acompanhado durante o livro não consegui tirar muito mais do que os fatos que eram passados. O que quero dizer é que os conheci não tão profundamente, não mais que os desejos de seus corações que foram mostrados, o que nesse livro não é tão importante, já que foca em seguir tradições e amor a família. 
Isso, sem duvida nenhuma, foi muito bem descrito no livro. 
Tudo, exatamente tudo gira em torno de suas leis para que eles fiquem em paz. 
Além disso, a história traz uma riqueza de informações sobre os ciganos que você talvez nem conheça. Tinha tudo para ser ótimo não fosse os erros de digitação e pontuação, talvez nem notáveis a alguns leitores. 
Fora esses pontos, recomendo que leia pois é uma daquelas histórias simples que merecem a chance de serem lidas.
   

"Tudo está certo debaixo  desse céu do Grande Pai, tudo tem seu sentido, 
sua hora e sua sabedoria".



8 comentários:

  1. Oi, One! Confesso que não achei a capa atrativa mas a premissa é bem intrigante por trazer algo que não estou habituada a ler e porque me interesso pela vida cigana e suas tradições. Dica anotada!

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Devo confessar que a sinopse não me atraiu a atenção, e também, a capa não parece muito atrativa. Entretanto, gostei da sua resenha, pois me despertou para um tipo de narrativa que não sou acostumada a ler, e agora, tenho vontade de conhecer.

    Beijos, Hellen

    Cuca Literária

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia essa obra, achei bem curiosa!
    Um pouco fora do que costumo ler, mas adoro me aventurar em novos gêneros :D
    Obrigada pela indicação ;)
    Bjo

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Oie

    Eu não conhecia o livro. Que decisão difícil para o Pablo, eu não sei o que faria, mas acho que iria pelo filho.
    Achei bem interessante falar das tradições ciganas, eu tenho curiosidade no assunto.
    Vou anotar a dica.

    bjs
    Fernanda
    http://condutaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro e não achei uma das melhores capas não. Mas adorei a sinopse! E é isso que importa, não é mesmo?! Parabéns pela resenha!
    Beijos!

    http://www.as365coresdouniverso.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, One, tudo bem?
    Eu gostei muito da sua resenha mas não é o tipo de livro que leio, não gostei muito da premissa e a sinopse não me chamou atenção, então dessa vez vou deixar a dica passar.
    Adorei as fotos e gostei muito de poder conferir suas impressões.

    beijinhos!
    https://leiturize-se.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bom?
    Confesso que não leio muitos livros que abordem essas temáticas. Estava tentando lembrar de livros com personagens ciganos e só achei um! hahaha Parabens pela resenha! Mas não sei se leria esse ai..
    Beijos, Yasmim.

    Blog: http://literarte.blog.br
    Insta: instagram.com/blogliterarte/

    ResponderExcluir
  8. Pablo tem uma bomba nas mãos, né? Mas algo me diz que, com sua sabedoria, ele vai dar um jeito de poupar o filho. Tomara que eu esteja certa. Gostei muito da sua resenha, mas esse tipo de leitura não me cativa muito, não é meu tipo predileto, mas quem sabe um dia?

    Um beijão
    http://eusouumpoucodecadalivroqueli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir